Sekhmet


Egyptiangods.jpg
A Enéade


Shu
Tefnut
Nut
Geb

Néftis
Osíris
Ísis
Set

A Ogdóade

Nu/Naunet
Amoun/Amaunet

Kuk/Kauket
Huh/Hauhet

Outros Deuses Egípcios

Anúbis
Anuket
Apófis
Apep
Ápis
Aten
Bast
Bés
Hadit
Hapi
Hathor
Hórus
Harpócrates
Khepri

Khonsu
Khnum
Maat
Mentu
Neith
Nuit
Ptah
Sebek
Sekhmet
Seshet
Tahuti
Tawaret
Tum

Sekhmet é uma deusa egípcia representada como uma leoa que traz o disco solar sobre a cabeça sustentado pela serpente uraeus.

Alguns a relacionam com o Olho de Rá que vigia os campos de trigo. Conta a lenda que Rá havia se decepcionado com a humanidade (lenda provavelmente influenciada pela tradiçao judaico-cristã) e criado Sekhmet para que devorasse os homens que haviam se desviado dos princípios divinos. Entretanto, Sekhmet não se detém neste detalhe e decide devorar toda a humanidade. Como solução para o caso, Thoth a embebeda com vinho, pois a enfeitiça fazendo com que ela pense de tratar de sangue. Nisto, a deusa adormece e acorda como uma dócil gatinha.

Esta lenda procura alegoricamente explicar o duplo aspecto da força criadora, sendo a fertilidade, a maternidade, representados pela gata e o fogo que destrói para transmutar é representado pela leoa. Não há consenso entre os egiptólogos sobre o Sekhmet e Baset serem dois aspectos de uma mesma força, entretanto há estudiosos do assunto que defendem a opinião de que toda a enéade é na realidade emanações de uma força única, ramificando-se em vários aspectos.

De Sekhmet também vêm o sekem que de acordo com a magia egípicia, é o nome que o iniciador dá ao discipulo no momento da consagração ritual através de um óculo (beijo).


   Esta página foi acessada 15 244 vezes.
O Ocultura utiliza o MediaWiki Valid XHTML 1.0 Transitional Valid CSS!