Harpócrates

Harpócrates. Estátua em prata. Museu Calouste Gulbenkian em Lisboa


Egyptiangods.jpg
A Enéade


Shu
Tefnut
Nut
Geb

Néftis
Osíris
Ísis
Set

A Ogdóade

Nu/Naunet
Amoun/Amaunet

Kuk/Kauket
Huh/Hauhet

Outros Deuses Egípcios

Anúbis
Anuket
Apófis
Apep
Ápis
Aten
Bast
Bés
Hadit
Hapi
Hathor
Hórus
Harpócrates
Khepri

Khonsu
Khnum
Maat
Mentu
Neith
Nuit
Ptah
Sebek
Sekhmet
Seshet
Tahuti
Tawaret
Tum

Harpócrates era um deus da mitologia egípcia que encarnava o Hórus enquanto criança. O seu nome egípcio era Horpakhered ("Hórus Menino" ou "Hórus Criança"), sendo Harpócrates a forma helenizada do seu nome.

Era filho de Osíris e de Ísis. Foi concebido postumamente, uma vez que o seu pai já tinha falecido. A concepção foi possível graças ao recurso por parte de Ísis à magia. Teve que ser escondido pela sua mãe nos pântanos do Delta para protegê-lo do seu tio, Set, que tinha sido o líder do plano que conduziu ao morte de Osíris.

O deus alcançou bastante popularidade durante a Época Baixa. Durante a era ptolemaica foi visto como o filho de Serápis e de Ísis.

Era representado como um menino nu, usando na cabeça a coroa dupla (coroa que era o resultado da junção da coroa do Alto Egito e da coroa do Baixo Egito) ou a coroa hemhem (coroa que correspondia a três coroas atef juntas). Tinha a característica trança lateral das crianças egípcias, que em alguns casos saía da coroa e encontrava-se presa na orelha. Poderia também ser representado como posicionado em cima de dois crocodilos, segurando nas mãos animais venenosos (como serpentes ou escorpiões), tendo sobre a cabeça uma imagem do deus protector da infância, Bes. Esta forma, designada como "Hórus sobre os crocodilos", era frequente em estelas com objectivos curativos. Os egípcios acreditavam que a água que tinha sido passada sobre este tipo de estelas adquiria propriedades curativas, sendo administrada a vítimas de picadas de animais venenosos. Identificado com o deus sol, poderia ser representado a emergir de um lótus. Surgia também a ser amamentado por Ísis ou Hathor.


   Esta página foi acessada 8 944 vezes.
O Ocultura utiliza o MediaWiki Valid XHTML 1.0 Transitional Valid CSS!