Sagrados Livros de Thelema

The Holy Books of Thelema

Thelema template.gif

Thelema
Termos & Conceitos
Livro da Lei
Números em Thelema
Aleister Crowley


Nuit | Hadit | Horus
Babalon | Chaos
Aiwass | Ankh-af-na-khonsu


93
Abrahadabra
Aeons
Agape
Ânsia de Resultado
AUMGN
Dizendo Vontade
Chefes Secretos
Choronzon
Cidade das Pirâmides
Corpo de Luz
Estela da Revelação
Grande Obra
Magick
Noite de Pan
Sagrado Anjo Guardião
Sagrados Livros de Thelema
Verdadeira Vontade

Os Sagrados Livros de Thelema são as obras de Aleister Crowley que o mesmo declara não serem de sua autoria, e que foram apenas redigidas por ele como escriba de uma inteligência superior; portanto, são considerados trabalhos inspirados.

O principal desses livros é o Livro da Lei, o único a ser transmitido a ele ditado por voz. Sobre todos os outros Crowley escreve no Confessions:

"O espírito veio em mim e eu escrevi vários livros de uma forma que dificilmente saberia como descrever. Eles não foram tomados de ditado, como o Livro da Lei, nem forem eles minha composição. Nem mesmo posso chamá-los de escrita automática. Só posso dizer que estava totalmente consciente no momento em que escrevia... Não posso duvidar que esses livros são trabalho de uma inteligência independente da minha."


Tabela de conteúdo

Os Livros

Liber AL vel Legis é o texto fundamental para Thelema. É o único Livro Sagrado que Aleister Crowley declarou não ter parte na autoria. Sua primazia é indicada no capítulo III, verso 47:

This book shall be translated into all tongues: but always with the original in the writing of the Beast; for in the chance shape of the letters and their position to one another: in these are mysteries that no Beast shall divine.
[Este livro será traduzido em todas as línguas: mas sempre com o original na escrita da Besta; pois o casual formato das letras e suas posições com relação umas às outras: nestes existem mistérios que nenhuma Besta advinhará.]

Os textos remanescentes foram escritos entre os anos 1907 e 1911. Se acordo com Crowley, eles não foram muito bem "escritos" por ele, mas "através" dele e, portanto, são referidos como trabalhos inspirados.

História da Publicação

Alguns desses textos foram originalment epublicados por Crowley em 1909 sob o título de "ΘΕΛΗΜΑ". Em 1983 esses textos originais, junto com outros textos adicionais, foram publicados sob o novo título "The Holy Books of Thelema" pela Ordo Templi Orientis

Conteúdo Original do "ΘΕΛΗΜΑ"

Textos adicionas incluídos no Sagrados Livros de Thelema

Livros listados por classe

Classe A

Classe A-B

Classe A-B

Classe D

Notas sobre a Lista

Liber I originalmente era uma Classe B, mas foi mudados para Classe A em 1913.

Liber LXI was originally Class A, then changed to Class B, then changed to Class D.

Liber CCXX and Liber XXXI are essentially the same. The latter is the handwritten original, CCXX was transcribed from the original and was given the number 220 because it is composed of 220 verses.

Liber CCCCXVIII has instructions in Aethyr 8 and 18 which are to be regarded as Class D. As it is a diary, it more properly belongs in Class B, except for the parts that the Angels dictated. Parts which are not consistently and clearly demarcated.

Liber DCXV, more commonly known as The Paris Working is a magical diary. The Class A material is so intertwined that segregating them apart is extremely difficult.

Liber DCCCCLXIII is Class A for the introduction only. The rest of the text is Class B.

The Stèle of Revealing is not part of the Holy Books, despite it being a part of the Gnostic Mass (Liber XV) that is performed by Thelemites as part of their sacred rituals.

The Comment of Ankh F N Khonsu is sometimes considered to be part of Liber Al vel Legis. At other times, it is considered to be a different document. In either instance, it has been understood by some to mean that no discussion of any of the Holy Books may take place. The purpose of this comment is allow others to interpret Liber Al vel Legis for themselves; in other words, no one is to preach its contents or tell you their understanding of it is the one true understanding.


Veja também

Referências


   Esta página foi acessada 50 535 vezes.
O Ocultura utiliza o MediaWiki Valid XHTML 1.0 Transitional Valid CSS!