Grande Obra

Thelema template.gif

Thelema
Termos & Conceitos
Livro da Lei
Números em Thelema
Aleister Crowley


Nuit | Hadit | Horus
Babalon | Chaos
Aiwass | Ankh-af-na-khonsu


93
Abrahadabra
Aeons
Agape
Ânsia de Resultado
AUMGN
Dizendo Vontade
Chefes Secretos
Choronzon
Cidade das Pirâmides
Corpo de Luz
Estela da Revelação
Grande Obra
Magick
Noite de Pan
Sagrado Anjo Guardião
Sagrados Livros de Thelema
Verdadeira Vontade

A Grande Obra (do latim Magnum Opus), em Thelema, é o processo da consecução do Conhecimento e Conversação do Sagrado Anjo Guardião e aprendimento e cumprimento da Verdadeira Vontade. O conceito se origina da Alquimia medieval, e chegou a Thelema através da Magia Hermética informada pela Qabalah.

Tabela de conteúdo

Na Qabalah

O termo "grande obra" não existe nos textos cabalísticos clássicos como o Zohar e o Sepher Yetzirah. No entanto, o conceito aparece nos escritos de cabalistas ao longo da Renascência:

Não ore por suas próprias necessidades, pois sua oração não será aceita. Mas quando quiser orar, faça-o pela aflição da Cabeça. Pois qualquer que você esquecer, a Divina Presença também esquece.
É porque o homem é uma "porção de Deus do altíssimo". Qualquer parte que falta, também existe no Todo e o Todo sente a falta da parte., Você deve portanto orar pela necessidades do Todo. (de um discípulo de Cabalista R. Israel Baal Shem Tov)

O Cabalista Judeu Clássico é menos preocupado com a Grande Obra como uma manifestação da "Verdadeira Vontade" do que com ele ser partícipe em trazer o mundo de volta ao estado que o Criador queria. Assim acha-se a corrente dos movimentos Cabalístas Judaico tal como o Kabbalah Center em Jerusalem recrutando novos "convertidos" à Cabalah (tal como a Madonna) numa tentativa de trazer cada novo Cabalista para dentro de seu conceito de Grande Obra. Conforme mais indivíduos entram no sistema Cabalístico, mais próximo o mundo se aproxima da perfeição que foi originalmente concebida no esquema Cabalístico.

Eliphas Levi e a Golden Dawn

Eliphas Levi, o primeiro dos "magistas cerimoniais" modernos e predecessor da "Golden Dawn" definiu a Grande Obra assim:

A magnum opus é pré-eminentemente a criação do homem por ele mesmo, que é, a total e completa conquista que ele pode fazer de suas faculdades e seu futuro; é pré-eminentemente a perfeita emancipação de sua vontade

A encarnação moderna da Golden Dawn define a Grande Obra como "um termo emprestado da magnus opus da alquimia. Refere-se ao caminho da evolução espiritual da humanidade, crescimento e iluminação, que é a meta da magia cerimonial"

A Interpretação de Crowley no Novo Aeon

Assim como na Golden Dawn, Thelemitas vê a Grande Obra, no mínimo com respeito ao magista individual, como sendo a busca pelo Conhecimento e Conversação do Sagrado Anjo Guardião. No entanto, Crowley nunca perdeu de vista que a Grande Obra individual contribui em última instância para a Grande Obra do Universo:

A primeira condição de associação da A.'.A.'. é que se jura identificar sua própria Grande Obra com o [trabalho] de erguer a humanidade a níveis maiores, de espiritualmente, e em qualquer outra maneira. (Magick Without Tears, cap. 9)

Era prática dos thelemitas na Abadia de Thelema em Cefalu, após "dizer 'Will' antes de comer", adicionar o questionamento: "Qual é sua Grande Obra"? (Magick Theory and Practice, cap. 13).

Ver também


Referências


   Esta página foi acessada 21 439 vezes.
O Ocultura utiliza o MediaWiki Valid XHTML 1.0 Transitional Valid CSS!